MENU

CENTRAL DE RELACIONAMENTO

GRADUAÇÃO

Educação Física (Bacharelado)


Unidade:
Belford Roxo
FAÇA SUA INSCRIÇÃO

Titulação:
Bacharel em Educação Física

Duração:
8 semestres

Horário:
Manhã: 07:30 - 12:15
Noite: 19:00 - 22:00

Objetivo do curso:

Formar o profissional de Educação Física Generalista apto para o pleno exercício nos campos de intervenção em diferentes instâncias sociais, onde as múltiplas manifestações do movimento humano se fazem presentes, tais como treinamento desportivo, preparação e avaliação física, recreação e lazer, promoção e manutenção da saúde e da qualidade de vida, orientação e gestão em atividade física e desporto.

O que faz o profissional

Atua na prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde, na formação cultural, educação e reeducação motora, rendimento físico-esportivo, lazer, gestão de empreendimentos relacionados às atividades físicas, recreativas e esportivas, além de outros campos que oportunizem ou venham a oportunizar a prática de atividades físicas, recreativas e esportivas, pautado em preceitos éticos e de competência técnica.

Principais campos de atuação profissional:

  • I. Instituições de Administração e Prática Esportiva, Organizações Empresariais;
  • II. Centros e Laboratórios de Pesquisa, Academias, Clubes, Associações Esportivas e/ou Recreativas, Grêmios Esportivos; Hotéis;
  • III. Centros de: Recreação, Lazer e Saúde;
  • IV. Centros de Treinamento: Esportivo, Lutas/Artes Marciais;
  • V. Aplicação de exercícios compensatórios para funcionários da indústria, do comércio e prestadores de serviços;
  • VI. Análise, planejamento e prescrição de atividades quanto ao uso correto de assentos, mesas, bancadas, maquinários e ferramentas de trabalho em empresas industriais, comerciais e prestadoras de serviços;
  • VII. Populações especiais: Pessoas com Necessidades Especiais (PNE), idosos, obesos, cardiopatas, hipertensos, diabéticos, gestantes, e outras de natureza similar.

Aspectos legais:

Autorização:

Portaria MEC nº 1035 de 17/05/2001 – Publicada em 22/05/2001

Reconhecimento:

Portaria MEC nº 819 de 30/12/2014 - Publicada do Dou de 02/01/2015

Coordenação:

Prof. Ms. Roberto Alves Garcia

1º Período
Disciplina C.H. Pré-Requisitos
DIDÁTICA GERAL  40 -
METODOLOGIA DO ENSINO DAS GINÁSTICAS  40 -
RECREAÇÃO E LAZER  40 -
BASES ANTROPOLÓGICAS DO MOVIMENTO HUMANO  40 -
BIOLOGIA APLICADA À EDUCAÇÃO FÍSICA  40 -
METODOLOGIA DO ENSINO DA NATAÇÃO  80 -
METODOLOGIA DO ENSINO DO FUTSAL  80 -
     
2º Período
Disciplina C.H. Pré-Requisitos
ANATOMIA BÁSICA  40 -
DIDÁTICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA  40 DIDÁTICA GERAL
FUNDAMENTOS FILOSÓFICOS  40 -
METODOLOGIA CIENTÍFICA E DA PESQUISA  40 -
PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E DA APRENDIZAGEM 40 -
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA  40 -
METODOLOGIA DO ENSINO DO ATLETISMO  80 -
METODOLOGIA DO ENSINO DO HANDEBOL  80 -
 
3º Período
Disciplina C.H. Pré-Requisitos
ATIVIDADES RITMICAS E EXPRESSÃO CORPORAL  40 -
EDUCAÇÃO INCLUSIVA  40 -
FISIOLOGIA GERAL  40 BIOLOGIA APLICADA À EDUCAÇÃO FÍSICA 
DESENVOLVIMENTO NEUROMOTOR  80  
METODOLOGIA DO ENSINO DO BASQUETE  80 -
ANATOMIA DO APARELHO LOCOMOTOR  80 -
 
4º Período
Disciplina C.H. Pré-Requisitos
FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO I  40 FISIOLOGIA GERAL
METODOLOGIA DO ENSINO DAS LUTAS  40 -
CULTURA POPULAR E FOLCLORE BRASILEIRO  40 -
APRENDIZAGEM MOTORA  80 -
METODOLOGIA DO ENSINO DO VOLEIBOL  80 -
EDUCAÇÃO FÍSICA ADAPTADA  80 -
     
5º Período
Disciplina C.H. Pré-Requisitos
BIOESTATÍSTICA  40 -
CINESIOLOGIA  40 ANATOMIA DO APARELHO LOCOMOTOR 
EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE  40 -
ESTUDOS ESPECIAIS I  40 -
SOCORROS DE URGÊNCIA  40 -
METODOLOGIA CIENTÍFICA E DA PESQUISA II  40 METODOLOGIA CIENTÍFICA E DA PESQUISA 
ATIVIDADES AQUATÍCAS 40 METODOLOGIA DO ENSINO DA NATAÇÃO
 
6º Período
Disciplina C.H. Pré-Requisitos
CINEANTROPOMETRIA  40 -
ESTUDOS ESPECIAIS II  40 -
PSICOLOGIA APLICADA À EDUCAÇÃO FÍSICA E AO ESPORTE 40 -
OPTATIVA 40 -
OPTATIVA 40 -
 
7º Período
Disciplina C.H. Pré-Requisitos
ATIVIDADES FÍSICAS PARA GRUPOS ESPECIAIS I 40 -
BIOMECÂNICA 40 -
FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO II 40 FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO I
TREINAMENTO DESPORTIVO I 40 -
ADMINISTRAÇÃO E MARKETING ESPORTIVO 40 -
NUTRIÇÃO E ATIVIDADE FÍSICA 40 -
TREINAMENTO CONTRA RESISTENCIA 80 -
OPTATIVA 40  
OPTATIVA 40 -
 
8º Período
Disciplina C.H. Pré-Requisitos
FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO III 40 FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO II
SOCIOLOGIA DO DESPORTO E DO LAZER 40 -
TRABALHO DO CONCLUSÃO DE CURSO - BACHARELADO 40 METODOLOGIA CIENTÍFICA E DA PESQUISA II 
TREINAMENTO DESPORTIVO II 40 -
ESTUDOS ESPECIAIS III 40 -
FUTEBOL DE CAMPO 40 -
ATIVIDADES FÍSICAS PARA GRUPOS ESPECIAIS II 40 -
GINÁSTICA DE ACADEMIA 80 -
OPTATIVA 40 -
Outros componentes curriculares C.H.
Atividades Acadêmicas Complementares  200
Estágio Curricular Supervisionado 300

Equipe em atualização.



RANGEL, Luama de Souza; BATISTA, Luciana; SOUZA Priscila Fernandes de. Atividade física na terceira idade: uma influência na independência funcional. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) – UNIABEU Centro Universitário, Belford Roxo, Rio de Janeiro, 2012. 

Resumo:

Envelhecer com saúde tem se tornado uma preocupação cada vez maior na população, e a prática de atividade física é uma enriquecedora contribuição para que os idosos possuam mais autonomia nas atividades que exercem em seu cotidiano, conhecidas como Atividades da Vida Diária. Assim sendo, o objetivo deste artigo foi verificar a importância da atividade física para a independência funcional de idosos, medida através do teste LPDV, proposto pelo Grupo de Desenvolvimento Latino-Americano para a Maturidade – GDLAM. A amostra, de 40 voluntárias, foi dividida em dois grupos: um que participava de atividades físicas regulares (n=20) e outro que era sedentário e não praticava atividades físicas regulares há pelo menos 1 ano (n=20). A comparação entre os dois grupos mostrou que os resultados obtidos no teste LPDV pelo grupo que praticava atividade física foram significativamente melhores (p<0,001) que o do outro grupo e que, dentre os 20 melhores resultados, 17 eram do grupo fisicamente ativo. A análise desses resultados permite concluir que a prática de atividade física regular parece ser decisiva para a independência funcional medida pelo teste LPDV.

Palavras-chave: Independência funcional; idosos; atividade física.



FRAGA, Rafael Teixeira; AMORIM, Erlam P. Sant’anna. A Influência da Manobra de Valsava Durante Exercícios Contrarresistência Sobre a Hipotensão Pós-Exercício. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) – UNIABEU Centro Universitário, Belford Roxo, Rio de Janeiro, 2012. 

Resumo:

Uma sessão de exercícios promove uma série de respostas fisiológicas agudas, dentre elas, a hipotensão pós-exercício, que, quando somadas, podem produzir adaptações crônicas do organismo ao treinamento. No que se refere a sua importância clínica, a hipotensão pós-exercício pode ser entendida como uma forma estratégica de ação não farmacológica para que ocorra a redução da pressão arterial. As diferentes maneiras de prescrever um treino de exercício contrarresistência (variabilidade da carga, da metodologia do treinamento e do número de séries do programa) podem intervir nos achados sobre a redução da pressão arterial. A respiração é um aspecto bastante importante no conjunto de técnicas de treinamento contrarresistência e seus objetivos são fornecer oxigênio ao sangue e a remoção do dióxido de carbono resultante do metabolismo celular. Durante o treinamento de força, a utilização da respiração bloqueada, quando se prende o fluxo de ar com a glote fechada (Manobra de Valsalva) em uma das fases do exercício ou mesmo antes de executá-lo, ocasiona elevação substancial da pressão sanguínea pela resposta do sistema nervoso simpático, a fim de manter a perfusão adequada. O objetivo do presente estudo foi verificar a magnitude da hipotensão pós-exercício contrarresistência e analisar se a Manobra de Valsalva teve influência sobre a pressão arterial pós-exercício. Houve redução nas pressões sistólica e diastólica no pós-exercício, tanto com o uso quanto sem o uso da Manobra de Valsalva, porém somente foi significativa a redução da pressão diastólica pós-exercício quando não foi utilizada a Manobra de Valsalva (p=0,02). Os resultados permitem concluir que, para a presente amostra, os exercícios contrarresistência produziram redução na pressão arterial pós-exercício e que a utilização da Manobra de Valsalva não foi determinante para que houvesse alteração na hipotensão pós-exercício.

Palavras-chave: Hipotensão pós-exercício; Manobra de Valsalva; treinamento contrarresistência.



SILVA, Douglas Rafael Caldas da; PEREIRA, Edmar Mileipp. Futebol e violência: torcedores organizados, entre a paixão e a fúria. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) – UNIABEU Centro Universitário, Belford Roxo, Rio de Janeiro, 2012. 

Resumo:

O universo futebolístico é capaz de despertar no torcedor fortes emoções e estas emoções, quando manifestadas de forma exagerada, ultrapassando os limites do controle, podem gerar consequências graves em se tratando de violência. As manifestações de violência sempre existiram no futebol especialmente na esfera torcedora. Desde a década de 1970, é nas chamadas torcidas organizadas que mais se verifica a ocorrência de eventos em que a violência é predominante. As torcidas organizadas são formadas por um público heterogêneo, abrigando pessoas de diversas identidades e esferas da sociedade. Sendo assim, muitas vezes a violência gerada nas torcidas organizadas não pode ser explicada a partir de um único fator. Apesar de ser formada por um público heterogêneo, é possível dizer que há alguns elementos que criam laços em comum nesses agrupamentos, e um desses laços – além do clube – relaciona-se a aspectos como identidade, sociabilidade e a atração pelos riscos eminentes que surgem de participação em situações que envolvem violência. Cabe perguntar: o que leva um indivíduo a se expor a situação de risco, em que muitas vezes sua vida é posta em jogo? Por que ir para um estádio disposto a entrar em combate, seja nas ruas, transportes públicos e outros espaços da cidade? Qual o significado da violência para essas pessoas? Para melhor compreender estas questões, este artigo foi em busca de depoimentos de integrantes de algumas dessas torcidas que trazem em seu histórico de vida essas experiências em que a violência se faz presente, muitas vezes, de modo planejado e desejado.

Palavras-chave: Violência; torcida organizada; juventude; lazer; futebol.



GOMES, Alan de Mendonça; SILVA, Everton José Fonseca da. Dos estádios às arenas: o processo de modernização (elitização?) dos estádios de futebol a partir dos megaeventos. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) – UNIABEU Centro Universitário, Belford Roxo, Rio de Janeiro, 2011. 

Resumo:

O objetivo deste estudo é investigar o processo de reformulação dos estádios de futebol no Brasil, especialmente, a reforma do Maracanã, estádio construído em 1950, com capacidade para 200 mil pessoas, e que em 2014 abrigará no máximo 76 mil torcedores. Buscar-se-á entender como o uso da concepção de “moderno” tem legitimado mudanças no futebol brasileiro no que diz respeito ao acesso aos estádios e entender como ocorre a relação do moderno com o aumento do preço dos produtos do futebol (ingressos, artigos oficiais). Esse processo de modernização - elitização? - do futebol faz com que uma das mais importantes formas de lazer popular – que é o futebol – corra o risco de se tornar uma diversão para poucos.

Palavras-chave: Maracanã; megaeventos; Copa do Mundo; moderno.



ROCHA, Aline Ferreira da; SANTOS, Bianca; SOUZA, Catarina de. Velhice e qualidade de vida através da capoeira. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) – UNIABEU Centro Universitário, Belford Roxo, Rio de Janeiro, 2011. 

Resumo:

O principal objetivo deste artigo é investigar qual o papel desempenhado pela capoeira no cotidiano dos idosos que a praticam, sobretudo no que diz respeito à possibilidade de compreendê-la como um veículo de promoção da qualidade de vida, proporcionando saúde, oportunidade de lazer e sociabilidade. Buscar-se-á verificar em que medida essa prática influenciaria estes indivíduos no seu dia a dia, na relação interpessoal, na reintegração dos mesmos na sociedade, no relacionamento com sua própria família, na interação com outros grupos. Além disso, será dado destaque a influência que a prática da capoeira traria à percepção que o idoso produz de si mesmo. Foi feita uma pesquisa qualitativa no Centro Esportivo Miécimo da Silva com 15 idosos, sendo 1 homem e 14 mulheres com a faixa etária de 50 a 85 anos.

Palavras-chave: Velhice; Centro Esportivo Miécimo da Silva; capoeira; qualidade de vida.



CREMONEZ, Fabrício; VALÉRIA Vanessa; MORAES, Gleidson. A importância da atividade física para a independência funcional de idosos. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) – UNIABEU Centro Universitário, Belford Roxo, Rio de Janeiro, 2011. 

Resumo:

Para melhorar a independência funcional dos idosos, é necessário que os componentes da aptidão física relacionada com a saúde sejam bem desenvolvidos. O objetivo do estudo foi verificar a importância da atividade física para a independência funcional de idosos, medida através do teste de Levantar da Posição Decúbito Ventral (LPDV). A amostra estudada foi composta por 40 mulheres voluntárias de Mesquita, Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro, participantes do grupo da terceira idade com idade superior a 60 anos, aparentemente saudáveis que foram divididas em dois grupos (ativos e sedentários). Os resultados mostraram que não existe diferença significativa entre os dois grupos no teste LPDV e que existe relação de moderada a forte entre a idade dos voluntários e os resultados do teste.



NOMELINI, Leonardo Lira Nascimento; RAMOS, Raphael Felipe Inbert. A importância do professor de musculação nas empresas de fitness. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) – UNIABEU Centro Universitário, Belford Roxo, Rio de Janeiro, 2011.

Resumo:

Este artigo teve como objetivo analisar a importância do professor de musculação nas empresas de fitness nos dias atuais. Foi apresentada uma pequena revisão bibliográfica no histórico das academias, nos objetivos dos praticantes, e qual era o perfil dos professores, até chegar ao século XXI. Analisaram-se também características que são fundamentais para que um professor seja bem sucedido em uma Empresa de fitness. Foi feita uma pesquisa de campo, onde se visitou 13 academias conhecidas em suas regiões no Rio de Janeiro, com o critério da escolha na mensalidade ser superior ao valor de R$80,00. Realizou-se uma entrevista com os respectivos coordenadores e gestores, sendo 8 na região Zona Norte/Baixada Fluminense, e 5 na Barra da Tijuca/Zona Sul. Elaborou-se um questionário fechado com 10 alunos de cada academia visitada, totalizando 130 alunos. Ao final, foi concluído que o professor de musculação possui importância tanto na visão dos coordenadores e gestores quanto na visão dos clientes dentro das empresas de fitness.

Palavras-chave: Clientes; empresas de fitness; fidelização; marketing; atendimento.



MARTINS, Aércio; RIBEIRO, Roberto; HERMÍNIO, Tânia Cristiane. A prática da dança de salão como instrumento de promoção de qualidade de vida. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) – UNIABEU Centro Universitário, Belford Roxo, Rio de Janeiro, 2011. 

Resumo:

O presente estudo tem como objetivo verificar de forma científica, através de revisão bibliográfica e pesquisa realizada com indivíduos não praticantes de atividades físicas, e os praticantes de Dança de Salão (DS), se essa atividade era capaz de promover benefícios em indivíduos idosos. Para isso, foram selecionados 40 idosos com idades a partir de 60 anos, que responderam os questionários WHOQOL resumidos e QMAD em português. De acordo com os resultados, é possível observar que entre os maiores motivos para a procura desta prática estão a satisfação pessoal, a execução de exercícios de forma prazerosa, sexualidade, divertimento associado à busca de novas amizades e manter-se em boas condições físicas, ausência ou pouca dor física para a execução de tarefas, boa locomoção, motivação, e a substituição de sentimentos negativos por novas sensações e experiências positivas alcançadas através da participação nos grupos. Para eles, o fator de menor importância é o de ter que praticar uma atividade por obrigação. Vimos que a prática de uma atividade física nesta faixa etária associada a outros hábitos saudáveis pode contribuir para a diminuição dos efeitos da velhice. Podemos concluir que existe uma diferença considerável entre os praticantes de DS e os não praticantes de atividades físicas da mesma faixa etária, mesmo tendo necessidades parecidas, como o uso de medicamentos e ocupação do tempo livre e outros. A melhora nos aspectos físicos, psicológicos e sociais, ocasionada pela DS, parece, de fato, contribuir para a promoção de saúde garantindo maior qualidade de vida.



SILVA, Antônio Bruno da; JÚNIOR, Pedro Cruz. Qual o perfil do personal trainer nas academias da Baixada Fluminense? Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) – UNIABEU Centro Universitário, Belford Roxo, Rio de Janeiro, 2011. 

Resumo:

O artigo apresentado tem como objetivo traçar o perfil do personal trainer que oferece seus serviços na Baixada Fluminense, incluindo seu grau de formação, custo de deslocamento e alimentação, carga horária de trabalho ao dia, prestação de serviços nos finais de semanas. Trabalham com outros profissionais da área da saúde? Quanto costuma cobrar por seus serviços, como é seu relacionamento com os demais personal trainers e se o mesmo treina. O Personal Training costuma atuar com indivíduos que buscam resultados em curto prazo, com a ideia de minimizar o descontentamento estético, fins terapêuticos ou por recomendação médica para fazer exercícios. Conciliando a teoria com a prática, buscando atualização para que a qualidade dos serviços seja sempre a melhor. Propor atividades a serem realizadas em horários preestabelecidos para, com maior segurança, proporcionar condicionamento adequado aos seus clientes. A metodologia foi composta da aplicação de um questionário misto composto de 17 perguntas, sendo sete fechadas e dez abertas, com 40 profissionais, todos atuando no mercado de trabalho como personal trainers, sendo 22 homens e 18 mulheres, abrangendo municípios da Baixada Fluminense: Belford Roxo, Nova Iguaçu, São João de Meriti e Duque de Caxias. Os resultados indicaram que a maioria é graduada, além de possuir diploma de pós-graduação. São fisicamente ativos, atuam principalmente em academias, com tempo médio de sessão de treino de 1,4 horas e preço médio de R$ 41,60 por sessão, além de terem outras atividades na área de Educação Física.

Palavras-chave: Personal Training; Marketing; academia.



AMARO, Carla Priscila da Silva; SOUZA, Géssica da Silva. Contribuição da hidroginástica para a flexibilidade de pessoas de terceira idade. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) – UNIABEU Centro Universitário, Belford Roxo, Rio de Janeiro, 2011. 

Resumo:

A flexibilidade é a capacidade de realizar movimentos em certas articulações com amplitude de movimento adequado, além de representar uma das componentes mais importantes da aptidão física. Paralelamente ao processo de envelhecimento, a flexibilidade tende a diminuir, o que acarreta uma dificuldade do idoso em realizar tarefas do seu cotidiano. A hidroginástica é ideal para pessoas com problemas ósseos, como osteoporose e artrose, além de ajudar no emagrecimento, na melhora da resistência muscular, do condicionamento físico, da flexibilidade, colaborando com o incremento do equilíbrio e da coordenação motora. O objetivo do presente trabalho é verificar se existe contribuição significativa da hidroginástica para o aumento da flexibilidade em pessoas da terceira idade. Foram avaliados 30 idosos, de ambos os gêneros, que foram divididos em dois grupos. O primeiro grupo (n=15) era composto de idosos que praticavam hidroginástica pelo menos 2 vezes por semana, há no mínimo 6 meses (GH). O segundo grupo (n=15) era composto de idosos sedentários, que não praticaram nenhuma atividade física nos últimos 6 meses (GS). Os voluntários foram submetidos ao teste no banco de Wells, conhecido como teste de Sentar e Alcançar. Os dados foram tratados pelo Teste T de Student para verificar se a diferença entre os resultados dos dois grupos era significativa, e foi encontrado p=0,24, mostrando que os grupos não apresentavam diferença significativa.



COUTINHO, Joyce Santos; LIMA, Milena da Silva; PORTO, Priscila Sermoud. A influência da dança circular na coordenação motora de indivíduos da terceira idade. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) – UNIABEU Centro Universitário, Belford Roxo, Rio de Janeiro, 2011. 

Resumo:

À medida que os anos tardios da vida se aproximam, há um declínio marcante nas capacidades físicas devido à diminuição do rendimento motor, que variam de pessoa para pessoa, consequentes das inúmeras alterações do organismo humano no decorrer do processo de envelhecimento. Portanto, a eficiência da coordenação motora também é comprometida, podendo até mesmo deteriorar-se se não for exercitada. Dessa forma, o objetivo deste trabalho é verificar a contribuição das danças circulares para a coordenação motora do idoso. A amostra deste estudo foi constituída de 45 idosas do gênero feminino, com idade média de 67,3 anos, variando entre 60 e 85 anos. As voluntárias foram divididas em três grupos distintos, (GDC) composto por idosas que praticavam dança circular (n=15); (GAD) composto por idosas que praticavam atividades físicas diversas (n=15); (GS) composto por idosas que eram sedentárias (n=15). Para avaliar a coordenação motora das idosas, foi utilizado o teste Soda Pop. Este teste consiste em virar e desvirar uma série de latas numa determinada sequência e posição. Os dados foram analisados de forma descritiva, quando os pontos de interesse foram a média, o desvio padrão, os valores mínimo e máximo. A análise inferencial ficou por conta do teste T de Student. Os resultados indicaram que, para a amostra estudada, existe uma diferença significativa na coordenação motora, medida pelo teste Soda Pop, entre o GDC e o GAD, como também entre o GDC e o GD. Os grupos GAD e o GS não apresentaram diferenças significativas entre si. Conclui-se que a Dança Circular quando praticada regularmente pode influenciar na coordenação motora de indivíduos da terceira idade, contribuindo assim para uma melhora significativa nas atividades de vida diária.

Palavras-chave: coordenação motora; dança circular; terceira idade; capacidade funcional.



ROQUE, Jorge da Silva; SILVA, Juliana Goulart da; MENEZES, Rita de Cássia F. A INFLUÊNCIA DA PRÁTICA REGULAR DA ATIVIDADE FÍSICA NO TESTE DE VTC PARA A 3ª IDADE. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) – UNIABEU Centro Universitário, Belford Roxo, Rio de Janeiro, 2011. 

Resumo:

A prática do exercício físico, além de combater o sedentarismo, contribui de maneira significativa para a manutenção da aptidão física do idoso. Idosos com dificuldade em realizar as atividades diárias apresentam dificuldades nas relações sociais e na manutenção da autonomia, trazendo prejuízos à sua saúde emocional. A participação do idoso em programas de exercício físico pode garantir maior independência pessoal e acrescentar um efeito benéfico no controle, tratamento e prevenção de doenças crônicas. O objetivo deste artigo é verificar a influência da atividade física no desempenho de atividades da vida diária (AVDs) de idosos através do teste de Vestir e Tirar a Camiseta (VTC). A amostra foi constituída por 40 indivíduos idosos, sendo 20 praticantes de alguma atividade física regular (GA) e 20 idosos sedentários (GS), com idade entre 60 e 86 anos. Foi utilizado o teste de Vestir e Tirar a Camiseta, que é validado para a avaliação da destreza com que o indivíduo realiza determinadas AVDs, e consiste em colocar e retirar uma camiseta. Neste teste, o tempo gasto para a realização do movimento é marcado em até décimos de segundo. Os dados foram analisados pela estatística descritiva, onde os pontos de interesse foram a média, a mediana, o desvio padrão e os valores máximo e mínimo, além da estatística inferencial, através do teste T de Student. A diferença entre os resultados obtidos pelos voluntários do GA e do GS foi significativa (p=0,0005), o que permite concluir que a atividade física tem um impacto positivo no desempenho das AVDs medida pelo teste VTC.

Palavras-chave: Idosos; Teste de Vestir e Tirar a Camiseta; atividades de vida diária.



SCAMUFFA, Amanda Jorge; FERREIRA, Ariel Lima; BARCELOS, Josiane Semião. Iniciação esportiva: aspectos relevantes no processo de ensino-aprendizagem do treinamento esportivo para jovens. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) – UNIABEU Centro Universitário, Belford Roxo, Rio de Janeiro, 2011. 

Resumo:

O esporte vem ganhando cada vez mais espaço no dia a dia das pessoas, principalmente entre crianças e adolescentes, que acabam sendo influenciados de diversas formas. Uma dessas influências é a busca pelo sucesso profissional e financeiro, que faz com que os jovens iniciem na prática esportiva cada vez mais cedo se especializando precocemente. O objetivo desse estudo é averiguar se os profissionais possuem a consciência de que um treino para jovens é algo complexo, que necessita de conhecimentos científicos para ser ministrado. Metodologicamente esse trabalho pode ser considerado de revisão bibliográfica com apoio de uma pesquisa de campo, onde foi verificado, a partir dos resultados do roteiro de entrevista, que a maior parte dos profissionais está ciente da complexidade de um treino para o público jovem. Contudo, apesar dos resultados em alguns pontos serem pouco representativos, esses conhecimentos nos pareceram algo superficial, havendo, assim, a necessidade de um aprofundamento maior de tais conceitos. A partir desta pesquisa, concluímos que ter conhecimento desses conceitos torna-se de suma importância na prática da iniciação esportiva.



SOUZA, Antônio Carlos Bernardino de; OLIVEIRA, João Carlos de; SILVA, Temístocles Alves da. Efeito do treinamento de futebolsoçaite na coordenação motora fina de crianças entre dez e onze anos de idade. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) – UNIABEU Centro Universitário, Belford Roxo, Rio de Janeiro, 2011. 

Resumo:

Esta pesquisa tem como enfoque principal apontar a importância do Futebol Soçaite como ferramenta pedagógica para os profissionais que trabalham com o movimento. E que esta ferramenta poderá contribuir de forma significativa no desenvolvimento da coordenação motora fina de membros inferiores de crianças entre dez e onze anos de idade. 60 crianças, sendo 30 praticantes de Futebol Soçaite (FUT) e 30 não praticantes, que serviram como grupo controle (CON), realizaram um teste de desenho orientado sobre uma figura retangular de 100 mm de lado, demarcada em papel milimetrado, realizada pelos membros inferiores esquerdo e direito. Foi calculado o erro total (mm2) do desenho realizado comparado ao desenho padrão. O teste Kolmogorov-Smirnov (? = 5%) indicou que os dados não seguiam uma distribuição normal. Sendo assim, foi aplicado o teste de Wilcoxon simples para análise intergrupos e pareado para análise intragrupos, ambos com significância de 5%. Os resultados indicaram que os sujeitos do grupo FUT apresentaram um erro menor na tarefa do que CON, tanto para o lado esquerdo quanto para o direito. Na análise intragrupos não houve diferença no erro entre os lados esquerdo e direito. Podemos concluir que a prática do Futebol Soçaite promoveu melhora na coordenação motora fina de membros inferiores em crianças entre 10 e 11 anos de idade. Mais estudos são necessários para confirmar tais resultados

Palavras-chave: Coordenação motora fina; desenvolvimento psicomotor; Futebol Soçaite.



DIAS, Menilson Paixão; SOUZA DO Ó, Rafael Augusto de. O corpo no Cisne negro: dilemas na sociedade moderna. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) – UNIABEU Centro Universitário, Belford Roxo, Rio de Janeiro, 2011.

Resumo:

Este trabalho tem como objetivo apontar como o conceito de indústria cultural desenvolvido por Theodor Adorno e Max Horkheimer, teóricos da Escola de Frankfurt, se faz transparecer em nossa sociedade, e como o corpo é abordado dentro desta perspectiva. Para desenvolver este tema, utilizaremos a revisão bibliográfica, dentro da qual destacamos Marilena Chauí, Theodor Adorno, Antônio Zuin, entre outros, para, assim, tentar identificar como o corpo acaba se tornando uma ferramenta de publicidade e como ocorrem os processos de desumanização do ser. A partir da análise fílmica de CISNE NEGRO, buscaremos compreender como o corpo e a necessidade do rendimento, abordados nessa obra, apresentam uma série de elementos caros à lógica da indústria cultural. Temos como objetivo, também, servir de auxílio para os demais estudantes e profissionais da área, que possuem interesse neste tema.

Palavras-chave: Corpo; sociedade; indústria cultural.

Nome:

Telefone:
-
E-Mail:

Curso Escolhido:
Educação Física (Bacharelado)

Turno:
Mensagem:

Código de segurança: